Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
Simepetro - Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
(11) 3207 0072
Palestras do 2° Congresso abordaram desde legislação até evolução tecnológica e meio ambiente – 04/09/09

 

 

Mais de 200 pessoas participaram na sexta-feira, dia 28 de agosto, do 2° Congresso Nacional Simepetro, realizado no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo. Dentre os palestrantes, destaque para o superintendente de Abastecimento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Edson Silva, que falou sobre as novas Resoluções publicadas pela ANP, para o segmento de lubrificantes.

Segundo Silva todos ganharam com a nova regulamentação. “Ganhou o produtor que passou a ter regras claras, a ANP, que tem um marco regulatório definido e a sociedade de modo geral, que passou a ter informações confiáveis”.

O presidente Carlos Ristum aproveitou a oportunidade para reiterar a solicitação para que a ANP publique os dados de comercialização das empresas, informação fundamental para que o Sindicato possa aderir ao programa Jogue Limpo. Edson Silva prometeu analisar o pleito com todo carinho.

Falando em nome da Fiscalização, o superintendente adjunto, Oiama Paganini Guerra,  afirmou que com as Resoluções a fiscalização terá maiores referências para poder exercer seu trabalho, uma vez que as exigências estão claras.

A boa notícia ficou por conta da especialista em regulação e coordenadora do laboratório da ANP, Maria da Conceição França. Segundo ela a ANP já colocou na pauta a questão da padronização dos rótulos, e já acatou a solicitação de coleta das embalagens de lubrificantes maiores de 1 litro. “A coleta é muito cara, isso tem cálculos diferentes, que terão que ser inseridos nos contratos conforme eles forem sendo renovados”, explicou.

O evento contou ainda com palestra do gerente de Comércio Interno de Lubrificantes e Parafinas da Petrobras, Bernardo Noronha Lemos, que falou sobre o mercado de óleo básico em 2009, destacando como perspectiva para o segundo semestre, um aumento da demanda nacional de mais de 10% em relação ao primeiro semestre.

A utilização dos óleos básicos Grupo II e III foi abordada pela Petrobras e Petronas, respectivamente. Segundo Eduardo Brandão Gonçalves, da Petronas, apesar do preço mais elevado, é importante entender o que acontece com os motores. “Com a evolução aumentou a potência, então a exigência sobre o lubrificante é muito diferente de cinco anos atrás.”

A preocupação com meio ambiente não foi abordada apenas na questão dos óleos básicos, mas também pelos advogados Greice P. Fuller e Rafael Lupércio. A primeira destacou o princípio da prevenção que tem por objetivo impedir a ocorrência de danos ao meio ambiente, através da imposição de medidas acautelatórias (EIA, leis), antes mesmo da implantação do empreendimento considerado potencialmente poluidor.

Já o advogado ressaltou a questão da sustentabilidade, as normas ambientais constitucionais e o gerenciamento de resíduos, levantando aspectos e impactos ambientais com enfoque para exemplos negativos que podem atingir o nome da empresa.

Continuando na linha da prevenção ambiental aliada à economia de recursos; o Secretário Executivo do Sindirrefino, Walter Françolin, traçou o perfil do rerrefino frente à Resolução Conama 362/05, com destaque para suas inovações, como a adoção do princípio poluidor pagador, a determinação de que todo óleo deverá ser coletado e a fixação da responsabilidade solidária dos agentes.

Enquanto a coleta do óleo usado já é uma realidade, a coleta de embalagens vem se destacando a cada dia. Um dos exemplos é o Programa Jogue Limpo, que foi apresentado pelo representante do Sindicom, Eduardo Freitas. Ele destacou que embora tenha sido lançado no âmbito do Sindicom, o Programa está aberto a outros parceiros, como Simepetro, Sindilub, SindTRR, Sindirepa e Fecombustíveis.

Mais voltado para o mercado de óleos lubrificantes industriais, a palestra do representante da Afton Douglas McGregor, abordou as tendências dos lubrificantes industriais e as características dos fluídos hidráulicos, destacando que os aditivos precisam garantir a diversidade de características de desempenho, necessárias para atender as várias especificações de fabricantes e equipamentos.

O evento registrou ainda, em palestra feita pelo Diretor José Roberto Godoy, as principais ações do Sindicato no último ano, com destaque para as reivindicações feitas junto à ANP, a participação no Grupo de Monitoramento Permanente do Conama, e junto ao Instituto Brasileiro do Petróleo. A atuação sindical também foi destaque na palestra do consultor jurídico Laerte Galízia, enquanto os aspectos econômico-financeiros das empresas foram abordados pelo presidente Carlos Ristum na abertura do evento.

Ao final, o diretor do Simepetro, Abel Laranjeiras, elogiou a criação do Núcleo Industrial, e convidou os associados que atuam na indústria a participarem das reuniões, de forma a fortalecer a luta da categoria.

Paralelamente ao Congresso, os patrocinadores – Sindirrefino – Fuchs – Agecom – Promax – Supply – Blowtec – Petrol – Raízes – Loop – Lab. Universal – Goaltech e Afton –  participaram de uma exposição. Disposta no salão do coffee-break, a exposição permitiu um contato mais próximo entre fornecedores e empresários, em um clima descontraído e agradável.