Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
Simepetro - Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
(11) 3207 0072
Quinzena fecha com alta de 21,8% nas vendas

 

Portal Automotive Business

 

Giovanna Riato

 

A primeira quinzena de dezembro terminou com 190,6 mil veículos vendidos, com crescimento de 21,8% sobre o mesmo período de novembro e de 15,3% na comparação com igual intervalo de 2011. Os dados do Renavam foram divulgados pela Fenabrave, que reúne os distribuidores, na terça-feira, 18. O resultado leva em conta os emplacamentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus feitos nos primeiros 11 dias úteis do mês. A média diária de vendas se manteve em 17,3 mil unidades/dia.

 

No acumulado do ano as vendas somam 3,63 milhões de veículos, com evolução de 5,3% na comparação anual. Com isso, faltam 180 mil licenciamentos para que o mercado interno alcance a projeção da Anfavea, associação dos fabricantes, de encerrar o ano com crescimento de 4,9% sobre 2011, para 3,81 milhões de unidades. Para alcançar esse volume, será necessário acelerar o ritmo até o fim do mês. Levando em conta os feriados e pontes, faltam poucos dias úteis para 2012 acabar.

 

Se considerados apenas os veículos leves, a evolução na primeira quinzena de dezembro foi próxima da antecipada por Automotive Business para os primeiros 10 dias úteis (leia aqui), com crescimento de 22,2% ante o resultado registrado há um mês. Foram licenciados 181,6 mil unidades no período, com média diária de vendas de 16,5 mil veículos/dia. As vendas devem se manter aquecidas até o fim do mês, estimuladas pela expectativa de fim do desconto no IPI no dia 31 de dezembro e pelo aumento da renda da população com o 13º salário.

 

Veículos pesados

 

Com 9 mil unidades, as vendas de veículos pesados confirmaram tendência de recuperação com crescimento de 15,4% na primeira quinzena de dezembro sobre o mesmo período de novembro. Ainda assim, há queda de 3,5% na comparação com o resultado anotado há um ano. Em 2012, o setor foi abalado pela redução do ritmo de expansão da economia e pelo início do Euro 5, ou Proconve P7, nova legislação de emissões que tornou os veículos mais caros. Desde setembro, no entanto, as vendas começaram a apontar para cima, puxadas pelas novas condições de financiamento pelo Finame/BNDES, com juros de 2,5% ao ano.

 

Nos primeiros 11 dias úteis do mês, foram vendidos 7,2 mil caminhões, com alta de 9% na comparação mensal e redução de 5,7% na anual. Com 132,4 mil unidades, há queda de 19,6% no acumulado do ano. O segmento de ônibus teve desempenho ainda mais positivo, com crescimento de 52,3% ante a primeira quinzena do mês anterior e de 6,8% sobre a primeira metade de dezembro de 2011. Foram vendidos 1,7 mil chassis no período. A alta pode ter sido impulsionada pelas entregas de unidades para programas governamentais, como o Caminho da Escola.

 

Os fabricantes de ônibus afirmam que as aquisições do governo foram capazes de acelerar o ritmo das fábricas. As companhias já têm encomendas para os próximos seis meses. Apesar disso, a aceleração ainda não aparece nos números do acumulado do ano, que apresenta queda de 13,8% no ano, para 13,8 mil chassis. Há atraso de cerca de três meses entre o pedido às montadoras e o emplacamento. A diferença é causada pelo tempo necessário para encarroçar o veículo.