Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
Simepetro - Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras, Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo
(11) 3207 0072
Setor de Lubrificantes é modelo – 12/09/11

Setor de lubrificantes é modelo

Por De São Paulo

Algumas empresas do setor de óleos lubrificantes estão adiantadas na implantação de sistemas para a coleta e distribuição adequada de embalagens usadas. Há seis anos, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) executa o Programa Jogue Limpo, que promove o recolhimento do material nos Estados do Sul do país, no Rio de Janeiro e na cidade de São Paulo. Em 2010, 23 milhões de embalagens foram recolhidas e encaminhadas à reciclagem. Neste ano, a expectativa é atingir 40 milhões. “A prioridade no momento é otimizar a cobertura da coleta”, afirma o presidente do Sindicom, Alisio Vaz.

O programa servirá de modelo para a implantação nacional da logística reversa do setor. Após oito meses de reuniões, o grupo que discute o tema finalizou, em agosto, o edital que dá as orientações sobre prazos e metas de recolhimento de embalagens plásticas de óleo. O edital deverá ser publicado no fim deste mês. A partir daí, as entidades terão 60 dias para concluir o acordo setorial. “Decidimos que as distribuidoras farão o recolhimento e os postos de combustível a armazenagem da embalagem”, afirma a advogada do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), Claudia Cavalheiro.

Os setores envolvidos na produção de agrotóxicos, pneus, lâmpadas e eletroeletrônicos estão definindo as diretrizes em ritmo mais lento, segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA). Os prazos para a divulgação dos editais desses grupos variam de outubro de 2011 a fevereiro de 2012. A assinatura dos acordos setoriais está prevista para o ano que vem.

Segundo Nabil Bonduki, secretário de recursos hídricos e ambiente urbano do ministério, o ponto sensível nas discussões é estabelecer metas e dividir responsabilidades para a logística. “Não podemos ter metas tímidas, embora essa seja a tendência dos setores para ficarem mais tranquilos”, afirma.

O setor de alimentos ainda está na fase de debates. Por nota, a Nestlé e a Danone informaram que as discussões estão adiantadas. Ambas fazem parte do grupo que desenvolve a proposta de acordo setorial de logística reversa das embalagens em geral. A previsão é de que o projeto seja apresentado para aprovação em janeiro. (BP e LI)